quarta-feira , 23 setembro 2020
Início / Últimas Notícias / Musicologia: 25 riffs inesquecíveis dos Anos 2000 que marcaram época. Parte V

Musicologia: 25 riffs inesquecíveis dos Anos 2000 que marcaram época. Parte V

Enfim é a chegada a sexta-feira! Dia de, entre outras coisas, fechar nova até aqui, Nova Séria Série.

Durante toda essa semana o Musicologia trouxe os 25 riffs do início dos anos 2000 que marcaram e mudaram para sempre a história da música. E agora você irá conferir quais são esses sons. Preparado (a)? Então, bora lá!

Forfun – “Hidropônica” (2005)

Goste ou não do Forfun, o fato é que a banda conseguiu traduzir em música o espírito do Skate Punk/Hardcore no Rio de Janeiro. Ouvir um riff como o de “Hidropônica” é ser transportado direto para um cenário de Verão, como acontece em praticamente todo o icônico e inesquecível Teoria Dinâmica Gastativa.

Gorillaz – “Feel Good Inc.” (2005)

A proposta do Gorillaz era (e talvez ainda seja) estranha, mas é inquestionável que o projeto deu certo. O disco de estreia teve canções marcantes, como “Clint Eastwood” e “19-2000”, mas riff marcante mesmo foi o de “Feel Good Inc.”, que chegou junto com o disco Demon Days em 2005 e logo se tornou o maior hit da banda.

System of a Down – “B.Y.O.B.” (2005)

Daron Malakian é uma máquina de riffs, e talvez seu auge tenha sido justamente com “B.Y.O.B.”, mais um caso inexplicável de um sucesso que transcendeu a cena do Rock e Metal mesmo trazendo muito peso. Talvez seja o refrão grudento — que, aliás, nos dá um segundo riff marcante dentro da mesma música.

Fresno – “Quebre as Correntes” (2006)

“Quebre as Correntes” é mais um caso de não precisar ser fã para reconhecer que o riff marcou época. A Fresno era e é até hoje uma das maiores expoentes do Emo brasileiro, que definitivamente foi um movimento bem forte nos anos 2000 por aqui, e a canção é daquelas que remete imediatamente à nostalgia para quem viveu o período.

Kings of Leon – “Sex on Fire” (2008)

A última metade dos anos 2000 viu a guitarra praticamente sumir do mainstream. Ainda assim, pelo menos uma banda conseguiu um bom espaço para mostrar seu som: o Kings of Leon. Os caras tiveram não apenas um, mas dois hits fortemente baseados em guitarras, baixos e riffs — “Sex on Fire” e “Use Somebody” — e inovaram na forma de usar o instrumento, em especial na primeira.

Segunda-feira (10) uma nova série te aguarda. Você vai conhecer músicas feitas por inteligência artificial. Um youtuber tem criado letras e melodias baseado em dados que ele fornece a um programa sobre as bandas que deseja produzir e, através do cruzamento dessas informações o software gera todo o conteúdo necessário para a gravação da canção. O próprio cara coloca a voz nessas músicas e também através do programa a voz é distorcida para ficar o mais próximo possível do timbre do vocalista da banda escolhida. Um verdadeiro show de tecnologia.

Você irá ouvir Nirvana, AC DC, Led Zeppelin e muitas outras bandas consagradas com esse toque de virtualidade. Aguarde!

Confira também

Nova Série Musicologia: “Mashups” Partes X e XI

Segunda-feira é dia recomeçar. Pois bem, vamos ao que interessa: mashups, a nova série do …

Nova Série Musicologia: “Mashups” Partes VIII e IX

“Pré-sexta”! Dia de trazer mais dois mashups Musicologia pra você. Confira Green Day com Oasis, …

Nova Série Musicologia: “Mashups” Parte VII

E hoje foi dia de misturar Aerosmith com Red Hot Chili Peppers. Dá uma conferida …

Entre em uma Vibe Boa!

O mais novo programa da Cidade Livre traz apenas o que há de melhor em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *